7 de jun de 2012

Unhas..


As unhas também são outra parte do corpo que chama a atenção. Confira aqui algumas dicas. 

Cuidados básicos para unhas saudáveis:
+ Manicure deve usar ferramentas esterilizadas, para não contaminar os clientes;
+ Evite retirar cutículas. Elas protegem a pele e a unha e evitam entrada de germens;
+ Use material individual para corte e limpeza;
+ Não use acetona para remover esmaltes antigos;
+ Prefira óleo de banana;
+ Esmaltes não prejudicam as unhas. Embelezam e protegem;
+ Quem trabalha com água e umidade deve manter as mãos sempre secas, dentro do possível. Se puder, use creme de mãos com hidratante e silicone;
+ Faça corte quadrado na unha. Nem comprido, nem muito curto;
+ Evite objeto pontiagudo ao limpar debaixo da unha. Pode provocar deslocamento. Passe sabonete e escovinha;
+ Quando fizer as unhas e suspeitar que uma esteja com micose, deixe para limpá-la por último;
+ Quem transpira muito deve usar meia de algodão e pó secante. Seque entre os dedos com secador de cabelo;
+ Micoses mais comuns precisam de calor e umidade para proliferar. Mantenha as unhas secas, aparadas e limpas;
Quem tem unhas descalcificadas, quebradiças ou finas (afastado uso de acetona) deve ingerir mais proteína (carne, queijo e ovos) e vitamina (frutas e verduras). Geralmente, a pessoa está com anemia por comer errado;
+ Evite calçado apertado para evitar unhas encravadas;
+ Se notar alguma diferença na cor, espessura e tamanho, procure um demartologista. O tratamento no início é sempre mais fácil, rápido e mais barato;
Roer unhas é manifestação de ansiedade exagerada ou neurose. Procure um psicólogo ou estilo de vida menos estressante.


“Quero unhas mais fortes!”

Meninas, unhas que não crescem, quebram o tempo todo ou descamam nas pontas muitas vezes estão relacionadas ao uso de produtos muito fortes, como detergentes ou solventes. Se esse não é o seu caso, fique atenta à alimentação: unhas fracas podem denunciar falta de proteínas, vitaminas ou sais minerais, anemia e até desnutrição. Aliás, as unhas podem dizer um monte de coisa sobre você, sabiam? Vejam o dicionário abaixo:
Manchas brancas:
Normalmente é resultado de traumas, mas se as manchas forem acompanhadas por espessamento, pode ser sintoma de micose. Calma que tem cura: pra isso, tem que procurar um dermatologista.
Descolada:
Você deve estar twittando muito ou passando tempo demais no msn. Sim, bater ou atritar as unhas, como a gente faz quando está digitando, podem acabar descolando a sua ponta. A culpa também pode ser do uso de removedores, sabões e detergentes fortes, que facilita a instalação de bactérias e fungos.
Amarelada:
Pode ser causada pela ingestão de algum remédio ou mesmo por contato com produtos de cor forte, como autobronzeadores. Quem come muita cenoura, mamão ou outros alimentos laranjas ou verde-escuros também pode ter a cor das unhas modificada por causa do pigmento dessas frutas e legumes.
Rachada:
Pode ser indício de anemia, problemas de tireóide ou resultado de dietas malucas. Unhas com uma rachadura central, que vai da base à ponta, têm podem estar associadas a má formação congênita ou mesmo a traumas sofridos na raiz. Nada de mais: se incomodar muito, apele para unhas postiças.
Ondulada:
Em geral, não tem a ver com doenças. O mais comum é que a ondulação seja resultado de um trauma – como batida ou um apertão na gaveta. Se atingir a parte visível da unha, a ondulação desaparece conforme ela cresce. Se a lesão for bem onde a unha se forma (atrás da cutícula), a deformação pode ser permanente. Nesse caso, não há muito o que fazer…


“Quero parar de roer as unhas!”
Digamos que você já tentou de tudo: esmalte com gosto amargo, cortar a unha no toco, usar bandaid, enrolar esparadrapo… e nada! Porque não pede seus pais uma ajudinha? Peça eles pra lhe fornecer dinheiro pra fazer as unhas toda semana. Você irá ficar com dó de estraga-las. Acredite, a Lívia (reporter da capricho) comprova isso: “No começo até tentei, mas, além de o gosto ser ruim, a unha ficava horrível. Aos poucos, parei total com a mania”, conta.

E as unhas de vocês, como são? Comentem..






Nenhum comentário:

Postar um comentário